quarta-feira, 20 de março de 2013

Peixes


Esta é mais uma classe de seres vivos que se pode encontrar em Barrô. É a mais numerosa e provavelmente a mais antiga de todos os seres vertebrados. Encontram-se espalhados um pouco por todo o globo mas mais frequentes em zonas húmidas e com disponibilidade alimentar.

Os peixes possuem guelras para respirarem o oxigénio presente na água e só assim conseguem sobreviver em meio subaquático. Por outro lado esta característica não permite que hajam trocas gasosas na ausência de água sendo as secas, o que estes seres mais temem.

Em Barrô só os temos devido à passagem do Rio Cértima, que vou passar a apresentar. Este rio nasce na Serra do Buçaco e vai desaguar à lagoa natural da Pateira de Fermentelos, percorrendo cerca de 43 quilómetros. 
Apesar de ter pequenas dimensões e de existir alguma poluição consegue reunir um número razoável de espécies piscícolas. Destaque para o Pimpão (Carassius auratus), a Carpa (Cyprinus carpio), o Góbio (Gobio lozanoi) e o Ruivaco (Chondrostoma occidentale) que existem em maior abundancia. Outras espécies que também se podem encontrar como a Perca-Sol (Lepomis gibbosus), Peixe rei (Atherina boyeri), Pardelha ou Verdemã-comum (Cobitis paludica), Barbo (Barbus bocagei), Boga-portuguesa (Chondrostoma lusitanicum), Enguia-Europeia (Anguilla anguilla), Esgana-Gata (Gasterosteus aculeatus aculeatus) e Gambúsia (Gambusia holbrooki).

Estas foram as espécies que fui identificando ao longo destes anos e que foram localizadas entre a ponte da Murta e a ponte do Parque do Silveiro, cerda de 5 quilómetros de rio.

E aqui algumas das fotos que capturei dos espécimes, gostava muito mas ainda não tenho de todos os que mencionei em cima:

Carpa

Enguia-Europeia

Boga-Portuguesa

Verdemã

Talvez um Escalo


Perca-Sol

Ruivaco
Góbio

Góbio
Pimpão-Vermelho
Obrigado

Nenhum comentário:

Postar um comentário